Skip to content

Materialidades da Literatura 2016-2017: candidaturas às bolsas

31/05/2016
Capa da publicação de apresentação do Programa «Estudos Avançados em Materialidades da Literatura». © Joana Monteiro e Paul Hardman, 2014.

Capa da publicação de apresentação do Programa «Estudos Avançados em Materialidades da Literatura». © Joana Monteiro e Paul Hardman, 2014.

DML Guia do Programa | DML Programme Handbook

Edital Bolsas de Doutoramento 2016-2017 (concurso aberto de 1 a 15 de julho de 2016)

Announcement Doctoral Studentships 2016-2017 (application open: July 1-15, 2016)

O programa de doutoramento «Estudos Avançados em Materialidades da Literatura» (Programa de Doutoramento FCT) abre candidaturas para a edição com início em 2016-2017 (10 vagas). As candidaturas decorrem de acordo com os prazos seguintes:
2ª fase: 1 de junho a 15 de julho de 2016 (10 vagas)
3ª fase: 24 de agosto a 5 de setembro de 2016 (sobrantes da 2ª fase)

O programa de doutoramento «Estudos Avançados em Materialidades da Literatura» (Programa de Doutoramento FCT) atribuirá 5 bolsas de doutoramento para a edição com início em 2016-2017. O edital referente a este concurso é publicado a 1 de junho de 2016 no sítio web do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra e o concurso para as bolsas de doutoramento estará aberto entre 1 e 15 de julho de 2016.

Perguntas Frequentes

  • A) Quais os critérios de seriação na candidatura ao Programa?
    Os critérios estabelecidos para a seriação das candidaturas ao Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, a aplicar em todas as fases de candidatura, são os seguintes:
    a) Classificação obtida nos níveis de titulação com que se apresenta (licenciatura e mestrado) [ponderação: 40%];
    b) Habilitações específicas relevantes para o âmbito científico do Curso [ponderação: 20%];
    c) Currículo científico [ponderação: 20%];
    d) Currículo profissional [ponderação: 20%].

É ainda um pré-requisito o domínio da língua inglesa num nível equivalente ao nível B2 do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas.

  • B) Qual a documentação a apresentar na candidatura ao Programa?
    A documentação necessária é definida pelo edital de candidatura ao Programa publicado na página seguinte (no separador ‘Avisos de Abertura’ clicar em ‘Curso de 3º ciclo’):  https://apps.uc.pt/courses/PT/course/2341. As instruções para o processo de candidatura em linha podem ser consultadas aqui: http://www.uc.pt/candidatos/online
  • C) Quais os critérios de seriação na candidatura à Bolsas FCT do Programa?
    O Programa atribui 5 bolsas de doutoramento em 2016-2017. A candidatura às bolsas de doutoramento decorrerá de 1 a 15 de julho de 2016 (o edital é publicado a 1 de junho de 2016, na página do CLP: http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/bols). A seriação dos candidatos às bolsas obedece aos seguintes critérios:
    1) Mérito científico do projeto preliminar de doutoramento do candidato [ponderação 40%] – este projeto preliminar deverá enquadrar-se numa das três linhas de investigação do Programa: “Ex Machina: Literatura e Inscrição” (cf. http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/exmach); “Vox Media: O Som na Literatura” (cf. http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/voxmed); ou “ReCodex: Formas e Transformações do Livro” (cf. http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/recod);
    2) Classificação obtida na candidatura ao Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura [ponderação 30%];
    3) Entrevista [ponderação 30%].

Nota 1: A entrevista decorrerá na segunda quinzena de julho de 2016, em data a agendar. Em caso de impedimento, a entrevista poderá ser realizada por teleconferência.

Nota 2: O júri reserva o direito de não atribuir as bolsas caso a classificação global do candidato ou candidatos seriados seja igual ou inferior a 15 valores.

  • D) Qual a documentação a apresentar na candidatura às Bolsas do Programa?
    A documentação necessária é definida pelo edital de candidatura às Bolsas de Doutoramento do Programa a publicar quer na página da UC, quer na página do CLP: http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/bols
  • E) Basta a candidatura ao Programa para se ser candidato/a às Bolsas do Programa?
    Não. Além da candidatura ao Programa, é necessária uma candidatura específica às Bolsas do Programa. A candidatura às Bolsas do Programa é regulada por um edital próprio, que pode ser consultado aqui: http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/bols
  • F) Qual é o valor da propina anual do Programa?
    A propina anual do Programa é atualmente de 1417,00 €, a pagar em 4 prestações.

Mais informações nas seguintes entradas:

1. O que é o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura?

2. Plano de Estudos do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (Cf. Despacho Nº 2666_2011, Diário da República_2ª série_Nº26_de 7 de Fevereiro de 2011, pp. 6913-6914)

3. Docentes e Professores Convidados do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (2010-2016)

4. Estudantes do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (2010-2016)

5. Requisitos de Acesso ao Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura

6. Procedimentos de candidatura para o ano letivo 2016-2017

7. Reconhecimento do Programa para efeitos de progressão na Carreira Docente

8. Vídeos com depoimentos de atuais Doutorandos e registos de seminários de Professores Convidados (2011-2014)

9. MATLIT:  Materialidades da Literatura (Revista científica de âmbito internacional cobrindo as diversas linhas de investigação do Programa – 6 números publicados, 2013-2016)

10. Projeto LdoD: Arquivo Digital Colaborativo do Livro do Desassossego (2012-2016): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa financiado pela FCT, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

11. Ex Machina: Literatura e Inscrição (2015-2020): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

12. Vox Media: O Som na Literatura (2015-2020): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura» (Vox Media website)

13. ReCodex: Formas e Transformações do Livro (2015-2020): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

14. Estudos Literários Digitais (14-15 de maio de 2015) | Digital Literary Studies (May 14-15, 2015): colóquio internacional organizado pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura

15. Language and the Interface (2015): exposição internacional organizada pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura

Esclarecimentos adicionais: Prof. Manuel Portela, mportela@fl.uc.pt

Interface Politics | 1º Congresso Internacional – GREDITS

11/05/2016

Texto: Ana Marques da Silva e Diogo Marques

Fotos: Departamento de Communicação, BAU College of Design, Barcelona

InterfacePolitics_dia1_01

O 1º Congresso Internacional Polítiques de la Interfície  decorreu de 27 a 29 de abril na cidade de Barcelona e foi organizado por uma parceria entre o Grupo de Investigación en Diseño y Transformación Social (GREDITS) do Centro Universitario de Diseño de Barcelona (BAU), o Centro de Producción e Investigación de Artes Visuales en Barcelona (HANGAR) do consórcio europeu IMAGIT, e o Grupo de Investigación MEDIACCIONS, da Universitat Oberta de Catalunya. O congresso contou com a presença de cerca de 70 conferencistas e 55 comunicações sobre a temática das interfaces digitais na intersecção entre as teorias e as prácticas estéticas e políticas, e dividiu-se entre dois espaços, decorrendo as duas sessões paralelas da manhã na BAU e a sessão da tarde no HANGAR, onde se realizaram também as palestras dos oradores convidados Tiziana Terranova (“Walls, widgets, and feeds: on architectures of subjectivity in social media interfaces”) e Amador Fernández-Savater (“La revolución como problema técnico”). A sessão de encerramento, com Matthew Fuller (“Back Sites and Transparency Layers”), decorreu no centro cultural Ars Santa Mònica.

IMG_20160428_110724

 

O programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura fez-se representar pelos estudantes Ana Marques da Silva, com a comunicação “Speaking to listening machines: literary experiments with control interfaces”, e Diogo Marques, com a comunicação “Grasp All, Lose All. Loss of grasp and non-functional digital interfaces in electronic literature”. Ambas as comunicações se centraram em diferentes estratégias de reflexão sobre a mediação digital em contexto literário, assinalando as relações entre medium, escrita e leitura, e entre estética e política. Num contexto disciplinar marcado sobretudo pelas artes e pelo design, a contribuição trazida pelos estudos literários representou uma oportunidade para aferir os pontos de contacto e de divergência entre as perspectivas teóricas da literatura e as abordagens, ora mais generalistas ora mais técnicas, das artes plásticas.

IMG-20160427-WA0004

 

O binómio transparência-opacidade das interfaces digitais deu o mote à maioria das discussões que tiveram lugar neste encontro, sublinhando e problematizando as relações entre a cibernética, a política, a produção tecnológica e as artes. A título ilustrativo, deixamos aqui o “Manifesto for a critical approach to the user interface”, elaborado pela organização da conferência:

 

The interface is a very broad concept that goes beyond the limits of the physical and the virtual. To narrow the intended scope of this manifesto, the nature of the interface we are talking about, refers to the [graphical] user-interface in the digital context.

 

  • The interface is a device designed and used to facilitate the relationship between systems.
  • (To) interface is a verb (I interface, you interface …). The interface occurs, is action.
  • The interface exists in the crease between space and time; it is a device and simultaneously a situation. It is rendered (updated under thoughtful conditions) and emergent (joining into something new).
  • The interface collects traces: traces and remains of all agents/agencies which converge in it.
  • The  interface is the tip of the iceberg of a complex system of agents/agencies, of  interdependent infrastructures, codes, data, applications,  laws, corporations, individuals, sounds, spaces, behaviors, objects, protocols, buttons, times, affects, effects, defects …
  • An interface is designed within a cultural context and in turn designs cultural contexts.
  • The interface responds and embodies the economic logic of the system in which you enroll. It is a political device.
  • The ideology of the interface is always embedded in the interface itself, but it is not always visible.
  • Can we make the invisible visible? The more present interfaces are in our lives, the less we perceive them.
  • The interface uses metaphors that create illusions: I am free, I can go back, I have unlimited memory, I am anonymous, I am popular, I am creative, it’s free, it’s neutral, it is simple, it is universal. Beware of illusions!
  • The standard calls for a universal subject and generates processes of homogenization, but reduces the complexity and diversity . What is not standard?
  • Users are entitled to know what the interface hides. Access to knowledge is a fundamental right.
  • In the design of the interface, not only skills but also emotions and affections are deployed. How are emotions produced and circulated in interfaces?
  • The user uses the interface perform agency, they coproduce each other and therefore they have the ability to define, redefine and contradict themselves by action or omission.

 

Bird-Watching: conferência e exposição

07/05/2016
Cartaz de Tiago Santos.

Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 3 de junho de 2016, a conferência e a exposição «Bird-Watching»  assinalam a conclusão do projeto de pós-doutoramento de Joshua Enslen (Academia Militar dos EUA em West Point; investigador de pós-doutoramento em Materialidades da Literatura). Intitulado “Graphs, Maps and Palm Trees: Constructing an Associative Literary Network from Gonçalves Dias’ Canção do Exílio”, este projeto decorreu ao longo do ano letivo 2015-2016. Às 10h30, no Instituto de Estudos Brasileiros, Joshua Enslen fará a conferência «Bird-Watching: Uma História Intertextual de “Canção do Exílio”, o Poema Mais Popular do Brasil». Esta conferência é uma organização conjunta do Instituto de Estudos Brasileiros e do Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura. Às 17h00, no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, terá lugar a inauguração da exposição «Bird-Watching: Visualizações da Influência de “Canção do Exílio”», de Alaina Enslen e Joshua Enslen. Esta exposição, que decorrerá entre 3 e 26 de junho de 2016, é uma organização do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra e do Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura.

Sinopse

Escrito em Coimbra em 1843 pelo estudante brasileiro António Gonçalves Dias, “Canção do Exílio” é um dos poemas mais populares de todos os tempos. Durante os últimos 173 anos, o texto de cunho romântico-nacionalista tem inspirado milhares de adaptações por escritores de vários países em todas as épocas e géneros literários, especialmente no Brasil, onde a sua reinvenção textual continua hoje em blogues e sites como Twitter, Facebook e Instagram. Ao aplicar teorias e métodos da crítica literária, da historiografia, das artes visuais e da ciência das redes, esta exposição colaborativa, baseada em mais de mil textos, músicas e fotografias recolhidos ao longo de três anos, apresenta várias leituras visuais da imensa e diversa influência do poema.

Biografias

Joshua Alma Enslen é Professor Associado em West Point, onde leciona disciplinas nas áreas de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. Doutorou-se em Línguas Românicas pela Universidade da Georgia em 2008. Publicou diversos ensaios em livros e revistas sobre escritores-diplomatas, tais como João Guimarães Rosa, João Cabral de Melo Neto e Vinicius de Moraes, entre outros. Atualmente desenvolve um projeto de pós-doutoramento no Programa de Materialidades da Literatura que mapeia digitalmente a influência do poema “Canção do Exílio.”

Alaina Enslen é fotógrafa e artista de mixed media. Trabalha no Hudson Valley, no Estado de Nova Iorque. A sua obra explora as estórias que nos constituem e o modo como a identidade evolui na sua relação com a cultura e com as crenças. As suas colagens-retrato narrativas [narrative portrait collages], combinando pintura com memorabilia e outros objetos encontrados, podem ser vistas em exposições, publicações e coleções privadas. Passou o último ano em Portugal concetualizando, juntamente com Joshua Enslen, processos de visualização como forma de crítica literária.

 


On June 3, 2016, the talk and exhibition “Bird-Watching” mark the completion of a post-doctoral project by Joshua Enslen (US Military Academy at West Point; post-doctoral researcher in Materialities of Literature). Titled “Graphs, Maps and Palm Trees: Constructing an Associative Literary Network from Gonçalves Dias’ Song of the Exile“, this project was developed during the academic year 2015-2016. At 10:30 am, at the Institute for Brazilian Studies, Joshua Enslen will give the talk “Bird-Watching: An Intertextual History of ‘Song of Exile,’ Brazil’s Most Popular Poem.” This talk is jointly sponsored by the Institute for Brazilian Studies and the FCT PhD Programme in Materialities of Literature. At 5:00 pm, at the Science Museum of the University of Coimbra, there will be the opening of the exhibition “Bird-Watching: Visualizing the Influence of Brazil’s ‘Song of Exile'” by Alaina Enslen and Joshua Enslen. This exhibition, which will run from 3 to 26 June 2016, is organized by the Science Museum at the University of Coimbra and the FCT PhD Programme in Materialities Literature.

Abstract

Written in Coimbra in 1843 by the Brazilian student António Gonçalves Dias, “Canção do Exílio” is one of the most popular poems of all time. Over the last 173 years, this Romantic nationalist text has inspired thousands of adaptations by writers from a number of countries in every period and literary genre, especially in Brazil, where its textual reinvention continues daily on blogs and sites like Twitter, Facebook and Instagram. By applying theories and methods from literary criticism, historiography, the visual arts and network science, this collaborative exhibit, based on more than a thousand texts, songs, and photographs collected over the last three years, presents various visual readings of the immense and diverse influence of the poem.

Biographies

Joshua Alma Enslen is an associate professor at West Point where he teaches courses in the areas of Portuguese as a Second Language and Brazilian Literature. He earned his doctorate in Romance Languages from the University of Georgia in 2008. He has published a number of essays in journals and edited volumes about writer-diplomats such as João Guimarães Rosa, João Cabral de Melo Neto, and Vinicius de Moraes, among others. Under the guidance of Professor Manuel Portela, Dr. Enslen is currently working on a project in the Materialities of Literature Program with the goal of digitally mapping the influence of the Brazilian poem, “Song of Exile.”

Alaina Enslen is a photographer and mixed media artist working in Hudson Valley, New York. Her work explores the stories that make us who we are and how our identities evolve in relation to culture and belief. Her narrative portrait collages, created by combining traditional painting with memorabilia and other found objects, can be found in exhibitions, publications and private collections. She has spent the last year in Portugal conceptualizing together with her husband visualizations of literary criticism.

Conferências de Sandy Baldwin e Trent Hergenrader

04/05/2016
Cartaz de Tiago Santos.

Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 20 de maio de 2016, o Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura recebe a visita de dois professores do Departamento de Inglês do Rochester Institute of Technology: Sandy Baldwin  e Trent Hergenrader. Sandy Baldwin, professor convidado do Programa, fará a primeira conferência, intitulada “Anomalous Web Materials: How to Pronounce to Cicada”, e Trent Hergenrader, a segunda, com o título “Role-Playing Games as Transmedia Storytelling”. A sessão dupla tem início às 14h30 na Sala de Seminários de Estudos Ingleses (6º piso, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra).

Sandy Baldwin é Professor Associado do Departamento de Inglês do Rochester Institute of Technology. Até 2015 foi professor na West Virginia University, onde dirigiu o Centro para a Computação Literária (fundado em 1991). É membro da direção da Electronic Literature Organization, editor executivo da revista ebr electronic book review (fundada em 1996) e coordenador da coleção ‘computing literature’, publicada pela West Virginia University Press. Tem artigos publicados nas revistas Culture Machine, Configurations: A Journal of Literature, Science and Technology, EBR Electronic Book Review, entre outras. Coorganizou, com Philippe Bootz, Regards Croisés: Perspectives on Digital Literature (Morgantown, WV: West Virginia University Press, 2010); com Scott Rettberg, ELMCIP: Electronic Literature as a Model of Creativity and Innovation in Practice (Morgantown, WV: West Virginia University Press, 2014); e, com Rui Torres, PO.EX: Essays from Portugal on Cyberliterature and Intermedia  (Morgantown, WV: West Virginia University Press, 2014). O seu livro mais recente, intitulado The Internet Unconscious (London: Bloomsbury, 2015 – cf. recensão de Ana Marques da Silva na MATLIT 4.1), recebeu em 2015 o Prémio N. Katherine Hayles da Organização de Literatura Eletrónica.

Trent Hergenrader é Professor Auxiliar do Departamento de Inglês do Rochester Institute of Technology. Hergenrader  leciona cursos de escrita criativa, recorrendo a técnicas surrealistas e Oulipianas e a procedimentos narrativos dos jogos digitais. A sua investigação tem incidido sobre a ficção interativa e sobre os videojogos, em particular os role-playing games enquanto instrumentos de escrita ficcional, designadamente no desenvolvimento de personagens. As narrativas de Trent Hergenrader foram publicadas em The Magazine of Fantasy & Science Fiction, Realms of Fantasy, Weird Tales e Best Horror of the Year. Juntamente com  Michael Dean Clark e Joseph Rein, coeditou recentemente o volume Creative Writing in the Digital Age (Londres: Bloomsbury, 2015) e é codiretor da revista Journal of Creative Writing Studies, cujo primeiro número foi publicado em 2016. É também autor da obra de hiperficção Calypsis: A Hypertext Fiction (2012).

Conferência de Paulo Franchetti

04/05/2016
Cartaz de Tiago Santos.

Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 19 de maio de 2016 (quinta-feira), no Instituto de Estudos Brasileiros (5º piso, FLUC), às 11h00, tem lugar a conferência “A Poesia Concreta e a questão da técnica” por Paulo Franchetti, professor da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e membro da Comissão de Acompanhamento Externa do Programa FCT em Materialidades da Literatura. Esta conferência é organizada em colaboração com o Instituto de Estudos Brasileiros.

Resumo

Um percurso pela questão da técnica na poesia concreta, tal como ela se colocava nos anos 70, quando a única forma de conhecimento da poesia concreta era por meio de artigos programáticos, nos quais essa poesia aparecia sempre mediada pela discussão e exposição de questões de técnica poética e tecnologia informática e de comunicação passiva, como instrumentos ou ambiente definidor da poesia.

Paulo Franchetti aposentou-se em 2015 como Professor Titular do Departamento de Teoria Literária na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, Literatura Brasileira dos séculos XIX e XX e Literatura Portuguesa do século XIX. É pesquisador nível 1 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Brasil e seu projeto atual versa sobre a lírica brasileira contemporânea. De 2002 a 2013 dirigiu a Editora da Unicamp. Publicou, entre outros, os livros Alguns aspectos da teoria da poesia concreta (Campinas, 2012), Haikai – antologia e história (Campinas, 2012), Estudos de literatura brasileira e portuguesa (São Paulo, 2007); O essencial sobre Camilo Pessanha (Lisboa, 2008) e Nostalgia, exílio e melancolia – leituras de Camilo Pessanha (São Paulo, 2001). Também é autor de quatro livros de poemas – Memória futura (2010), Escarnho (2008), Oeste (2008) e Deste lugar (2012) – e de uma novela – O sangue dos dias transparentes (2002).

I Colóquio Internacional de Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea

26/04/2016

Texto e fotos por Manaíra Aires Athayde

O I Colóquio Internacional de Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea ocorreu na passada semana, nos dias 18, 19 e 20 de abril, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, Brasil. Mais de cem comunicações contribuíram para que se pudesse observar um panorama alargado da Poesia Portuguesa, permitindo-nos perceber um conjunto de poetas, de críticos e as múltiplas abordagens com as quais se tem trabalhado nessas esferas de investigação. O evento possibilitou o estreitamento do diálogo entre grupos de estudos no Brasil e em Portugal e o debate reunindo vários pesquisadores de diferentes instituições e distintos projetos de pesquisa.

Colóquio UFMG 1

O Colóquio ocorreu nas dependências da Faculdade de Letras da UFMG.

Esses esforços críticos implicaram considerar “a multiplicidade de caminhos possíveis, a aproximar, relacionar, comparar, agrupar, observando rupturas e transições”, com “o intuito de refletir sobre os jogos e mundos de linguagem que constituem a Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea”, conforme se lê no texto de apresentação do Colóquio. “A partir daí, crê-se abrir um espaço sem dúvida relevante para contribuir de modo inequívoco com o debate e a reflexão literária na área de poesia”, ressalva-se ainda no mesmo texto.

O evento marca os dez anos de existência do Grupo de Estudos de Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea (GEPPMC), que assume a Comissão Organizadora juntamente com o Centro de Estudos Portugueses da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ambos coordenados pela professora da UFMG Silvana Pessôa. A Organização conta ainda com a colaboração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) e do Departamento de Letras da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Colóquio UFMG 2

Conferência de abertura por Lélia Parreira Duarte, com moderação de Silvana Pessôa.

Além de sessões dedicadas à crítica e ao ensaísmo, às perspectivas experimentais e à relação da poesia com as linguagens interartes e as interfaces, os interesses perspectivados pelas comunicações inscritas permitiram organizar sessões que contemplaram uma série de poetas, das mais distintas linhas de força de convergência e de dissonância, ao longo de todo o século XX e já agora nestas duas décadas do século XXI. Foram temas dessas sessões de comunicação os autores Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Florbela Espanca, Eugênio de Andrade, Sophia de Mello Breyner Andresen, Mário Cesariny, Carlos de Oliveira, Al Berto, Luís Miguel Nava, Ruy Cinatti, Natália Correia, Grabriela Llansol, Luiza Neto Jorge, Maria Teresa Horta, Herberto Helder (que teve duas sessões dedicadas à sua obra), Ruy Belo, Manuel António Pina, Nuno Júdice, Antônio Franco Alexandre, Gonçalo M. Tavares, Ana Luísa Amaral, Ana Hatherly, Adília Lopes, Maria do Rosário Pedreira, Luís Quintais, Manuel de Freitas, Rui Pires Cabral, Matilde Campilho. Os conferencistas convidados investiram em outros nomes ainda, tais como Nuno Guimarães, Jorge de Sena e Fiama Hasse Pais Brandão.

Colóquio UFMG 3

Exibição do documentário Ruy Belo, Era Uma Vez, de Fernando Centeio e Nuno Costa Santos.

A conferência de abertura, “Orpheu, a alma nua da poesia”, ficou a cargo de Lélia Parreira Duarte, anfitriã com mais de 45 anos dedicados à investigação da literatura portuguesa, fundadora dos centros de estudos portugueses da UFMG e da PUC Minas. Ainda nesse primeiro dia, foi exibido o documentário Ruy Belo, Era Uma Vez, de Fernando Centeio e Nuno Costa Santos, seguido da palestra de Manaíra Aires Athayde, responsável pela pesquisa do filme. Rosa Maria Martelo e Joana Matos Frias, docentes da Universidade do Porto e investigadoras do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, encerraram as atividades do segundo e terceiro dias, respectivamente. “Mário Cesariny e a poética de Nicolau Cansado, um precursor às avessas” foi o tema apresentado por Rosa Maria Martelo. Joana Matos Frias concluiu o evento com a conferência “Ele viu as palavras desfocadas: os campos visuais de Nuno Guimarães”. Já as três mesas-redondas que fizeram parte da programação central contaram com a participação de Jorge Fernandes da Silveira, Luis Maffei, Sandro Ornellas, Pedro Serra, Ida Alves, Caio Gagliardi, Diana Pimentel, Jorge Valentim e Sofia de Sousa Silva.

Do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra e do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, participaram o professor Pedro Serra, com a comunicação “Engenho de Palato: a poética da subalimentação de Nuno Guimarães”, e a doutoranda Manaíra Aires Athayde, com a comunicação “‘belo belo bandeira: entre marginálias e poemas”, sobre a importância da poesia de Manuel Bandeira no discurso poético de Ruy Belo.

Colóquio UFMG 4

Mesa de encerramento com mediação de Sofia de Sousa Silva e Wagner Moreira. Joana Matos Frias apresenta a última conferência.

Esses três dias de Colóquio se tornaram importantes por evidenciar a adesão que a poesia tem tido, no âmbito dos estudos portugueses, entre os alunos de graduação e de pós-graduação no Brasil. Três dias, afinal, em que a Poesia Portuguesa se mostrou prontamente auscultada, intensamente ouvida.

Conferência por Alessandra Eramo

21/04/2016

Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 28 de abril de 2016 (quinta-feira), no Instituto de Estudos Brasileiros (5º piso, FLUC), às 14h30, tem lugar a conferência “Voice. And Beyond”  por Alessandra Eramo. Alessandra Eramo é uma artista sonora, vocalista e compositora que usa o ruído e a voz como material de criação. A conferência é precedida por um concerto no dia 27 de abril, no Salão Brasil, às 22h: “Gesticular da Voz. Solo para Voz e Electrónica”. A autora foi entrevistada por Tiago Schwäbl no âmbito do projeto de investigação “Vox Media: O Som na Literatura“.

ALESSANDRA ERAMO is a sound artist, vocalist and composer who works primarily with voice and noise. She was trained in classical singing, piano and music theory since an early age, studied intermedial arts, experimental music and performance in Milan, Stuttgart and Venice.
Through performance, video, drawings and installation, she investigates the tension between vocality and writing, the phonetics, the physicality and trance-like states in singing. The essence of her practice is to destabilize the normal expectations of voice, body and identity in order to trace a new sense of beauty in sound and language. Her artistic production focuses on the juxtaposition between pleasure and disturbance, fragility and power, memory and the present, public space and intimacy.
She has performed and exhibited widely in Europe, Turkey, USA and Canada, such as at: FLUSSI Media Arts Festival Avellino 2015, PACT Zollverein Essen, Museum FLUXUS+ Potsdam, Liverpool Biennial 2012, Roulette New York, Padiglione Italia nel Mondo – 54th Venice Biennale. Co-founder of “Corvo Records – vinyl & sound art production” where she released in 2011 her solo LP Come ho imparato a volare, and the 7” Roars Bangs Booms in 2014, based on the onomatopoeic words from the Futurist Manifesto “The Art of Noises” by Luigi Russolo. Collaborations with acclaimed composers, artists and performers include Tomomi Adachi, Seiji Morimoto, Doug Van Nort, Marta Zapparoli. In 2015 she is vocal performer for the video work by Maria Iorio & Raphael Cuomo, which is exhibited at the 56th Venice Biennale – Fondazione Querini Stampalia. As recipient of grants from Berlin Senate, IfA and the Goethe Institut Napoli in 2013-2014 she curates the residency and sound art exhibition “Correnti Seduttive” in her hometown Taranto, a place with the highest level of industrial pollution in Europe. Here she realizes her sound installation Se Dio Vuole, from which she developed a book-document together with the music journalist Tobias Fischer, published in 2015.
She’s been Artist in Residence a.o. at Harvestworks Digital Media Arts Center New York (2012), where she creates Lauter Spannung a multichannel audiovisual work for voice and field recordings. Since 2015 she is a member of the group Errant Bodies – Sound Art Space in Berlin, where she lives and works.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 109 outros seguidores