Skip to content

Materialidades da Literatura no FOLIO 2017

10/10/2017

No próximo dia 21 de outubro de 2017, pelas 18h00, tem lugar no Espaço Criativo José Joaquim Santos, em Óbidos, a inauguração da exposição “Et Sic In Infinitum: Uma Instalação Intermedial e Transliterária”. Esta exposição, com curadoria de Carolina Martins e Diogo Marques, resulta de uma colaboração entre o Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura e a Sociedade Portuguesa de Matemática, no âmbito da programação do festival literário FOLIO 2017, que decorre entre 19 e 29 de outubro de 2017, em Óbidos. A inauguração integra ainda a performance poética “De Zero a”, criada e interpretada por Nádia Yracema e Tiago Schwäbl.

A exposição “Et Sic In Infinitum” faz parte do programa do colóquio “FOLIO 2017: Matemática e Literatura II“, que decorre entre as 11h00 e as 18h00 do dia 21 de outubro de 2017, no Museu Municipal de Óbidos. Trata-se de uma organização do Museu da Ciência da UC, em parceria com o Centro Internacional de Matemática e a Sociedade Portuguesa de Matemática, com o apoio do Centro de Matemática, Aplicações Fundamentais e Investigação Operacional da Universidade de Lisboa e do Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Sinopse da exposição

Circularidade. Tropo recorrente no momento de enunciar de modo literário um complexo paradoxo entre tempo e intemporalidade. De Aristóteles a Beckett, de Dante a Joyce, são (in)contáveis os movimentos circulares que se auto-reflectem nos mecanismos formais, temáticos e retóricos dos objectos artísticos em si mesmos, por exemplo, na representação da ideia de infinitude num espaço finito.


ET SIC IN INFINITUM é uma demonstração empírica desses mesmos percursos “revolucionários”, que se estendem entre o analógico e o digital, sejam estes o espaço delimitado da página ou códice, o comportamento rizomático do espaço em rede, ou a instalação contida no espaço de uma galeria. Numa sequência de movimentos dialécticos que não se anulam entre si, mas antes se complementam, surgem tensões entre textos, meios e artefactos, cujos processos estéticos e poéticos constituem uma engrenagem em movimento constante: a literatura. De círculo em círculo, na entropia espiralar que atesta o movimento do ser e do mundo, sob forma de máquinas literárias e mecanismos labirínticos, tais exercícios de contra-geometria acabam por expor também o momento crucial atravessado pela literatura, hoje imersa num aceso debate sobre os seus princípios e fins, intensificados no seu vórtice por práticas e mediações em torno da digitalidade.

Anúncios

Conferência e performance de Felipe Cussen

03/10/2017

© Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 6 de outubro de 2017, pelas 14h30, tem lugar no Anfiteatro V (6º piso, FLUC) a conferência de Felipe Cussen (Universidade de Santiago do Chile) “Cajas”. Esta conferência é dedicada a um conjunto de obras contemporâneas constituídas por caixas vazias, designadamente obras de Ben Vautier e Derek Beaulieu, que questionam a relação entre o vazio, o mistério e o dinheiro. A conferência será seguida por uma performance de poesia sonora. Ambas as iniciativas são uma organização do Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura.

Felipe Cussen é doutorado em Humanidades pela Universitat Pompeu Fabra e investigador do Instituto de Estudios Avanzados de la Universidad de Santiago de Chile. A sua investigação situa-se no campo da literatura comparada, incidindo em particular sobre a literatura experimental e sobre as relações entre poesia e música. Colabora com o músico Richi Tunacola e com o dueto Cussen & Luna, pertence ao Foro de Escritores e Collective Task, e integrou a Orquesta de Poetas. Nos últimos anos publicou o disco quick faith (records without records, 2015), os livros  Explicit Content (Gauss PDF, 2015), Closed Caption (Gauss PDF, 2016) e Regional Restrictions (Gauss PDF, 2017), e ainda o projeto Correcciones (Information as Material, 2016), que podem descarregar-se gratuitamente.

XII Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas em Macau

09/09/2017

O XII Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas (AIL) ocorreu, entre 23 e 29 de julho, em Macau, tendo sido esta a primeira vez que o evento é sediado no Oriente. A organização ficou a cargo da Comissão da AIL, presidida por Roberto Vecchi (professor associado da Universidade de Bolonha), e do Instituto Politécnico de Macau, cujo Centro Pedagógico e Científico da Língua Portuguesa é coordenado por Carlos Ascenso André.

DSCN0397

Sessão de abertura do XII Congresso da AIL, no Instituto Politécnico de Macau. Foi feita uma homenagem a Wu Weishan, um dos mais importantes escultores chineses.

Esta edição do congresso realizada de forma inédita na Ásia reforça a importância estratégica dos crescentes investimentos que o governo chinês tem feito na difusão da língua portuguesa no país, procurando tornar Macau uma região que funciona como ponte estratégica de aproximação da China aos países de língua portuguesa. Este foi um dos pontos centrais de várias comunicações das sessões paralelas, com painéis temáticos como «Brasil – China – Macau» e «O ensino do português como língua estrangeira», e também das sessões plenárias, como «O Português no Mundo», que contou com a participação de Ana Paula Laborinho, presidente do Instituto Camões.

Outra importante sessão plenária foi dedicada à divulgação do projeto Plataforma 9, com a presença de Ruy Vieira Nery, da Fundação Calouste Gulbenkian, e Elias J. Feijó Torres, professor titular da Universidade de Santiago de Compostela. A Plataforma 9, que surge em 2014 com uma parceria entre a Fundação Calouste Gulbenkian e a AIL, é um site que agrega notícias sobre congressos, bolsas, financiamentos, investigações, projetos e publicações que dizem respeito aos países de língua portuguesa. O portal conta atualmente com mais de 300 mil utilizadores, sendo os países com o público de maior acesso, respectivamente, Brasil, Portugal, Estados Unidos e Reino Unido. Este ano, a plataforma já atingiu mais de um milhão de visualizações.

Na mesma sessão, também foi apresentada a nova série da Revista Veredas, publicada semestralmente pela AIL. A nova direção está sob a responsabilidade de Regina Dalcastagnè, professora da Universidade de Brasília, que apresentou a 24ª edição da revista.

DSCN0615

Apresentação da Plataforma 9, um site que reúne as principais notícias sobre o mundo académico nos países de língua portuguesa. “No nome Plataforma 9 estão inseridos os 9 países das Lusofonias”,  explica Elias J. Torres Feijó.

A AIL procurou abranger comunicações em várias áreas de interesse, desde literaturas (portuguesa, brasileira, africanas de língua portuguesa), artes e interartes, linguística, políticas de língua e didática, a questões sobre história e política que envolvessem países de língua portuguesa. As duas conferências plenárias individuais foram realizadas por Elias J. Torres Feijó, responsável pela gestão anterior da AIL, que apresentou o tema «Narrativa(s) e comunidade(s). Para uma investigação consiliente, transdisciplinar e social», e por Isabel Pires de Lima, com a comunicação «As humanidades como “inutensílios”: aceleração – intervalo – interpretação». Na «Mesa dos Escritores», foram convidados a romancista brasileira Ana Miranda, o escritor e historiador moçambicano João Paulo Borges Coelho e o escritor e jornalista macauense Carlos Morais José.

DSCN0789

«Mesa dos Escritores», com a mediação de Helder Macedo, presidente de honra da AIL. Foram convidados para esta edição os escritores Ana Machado, João Paulo Borges Coelho e Carlos Morais José.

Esta 12ª edição do Congresso da AIL contou com mais de 140 investigadores, integrados em 80 instituições de 18 países. Do Centro de Literatura Portuguesa (CLP) da Universidade de Coimbra, participaram Maria Aparecida Ribeiro, com a comunicação «Quando Camões foi rival de D. Sebastião: o poeta como personagem de um texto dramático romântico»; Ana Paula Arnaut, com uma apresentação sobre «Valter Hugo Mãe: o colecionador de palavras na representação do eu e do outro»; Manaíra Aires Athayde (a mais recente doutora do curso em Materialidades da Literatura), falando sobre «A construção de uma poética experimental: a série “O Jogador do Pião”, de Ruy Belo, e a canção “Construção”, de Chico Buarque»; e Ana Rita Sousa (doutoranda do curso em Materialidades da Literatura), com a comunicação «Maria Gabriela Llansol: como se constrói uma tradição?».

A Associação Internacional de Lusitanistas foi fundada em Poitiers, em França, em 1984, por um grupo de investigação liderado pelo professor R. A. Lawton. Uma das principais atividades da AIL é a realização desse encontro trienal, que além de Poitiers e, agora, Macau, já passou também por Leeds (1987), Coimbra (1990), Hamburgo (1993), Oxford (1996), Rio de Janeiro (1999), Brown (2002), Santiago de Compostela (2005), Madeira (2008), Faro (2011) e Mindelo (2014). O próximo congresso ocorrerá em Roma, em 2020, com a organização da mesma equipa presidida por Roberto Vecchi, que foi reconduzido no cargo por mais três anos.

Projetos em Curso: Patrícia Lino

09/09/2017

© Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 22 de setembro de 2017, pelas 14h30, tem lugar no Instituto de Estudos Brasileiros a conferência de Patrícia Lino “Diálogos Imaginários (Anos 20): Blaise Cendrars, Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade”. Patrícia Lino ensina na Universidade da Califórnia, Santa Barbara, onde é, ao mesmo tempo, estudante do Doutoramento em Literatura Brasileira. Publicou e apresentou ensaios, artigos e ilustrações sobre diversos autores(as) e organizou vários colóquios e conferências em Portugal, no Brasil e nos Estados Unidos. No âmbito do seu doutoramento, tem vindo a dedicar-se ao estudo da relação entre poesia e imagem no contexto da poesia brasileira contemporânea. Esta conferência integra-se na série de conferências e seminários destinados à apresentação de projetos de investigação em curso, sendo uma organização conjunta do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura e do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de Coimbra.

O propósito desta conferência é tentar entender, a partir dos trabalhos de Oswald de Andrade (Pau Brasil, 1925; O primeiro caderno de poesia do aluno Oswald de Andrade, 1927), Blaise Cendrars (Feuilles de Route, 1924) e Tarsila do Amaral (Pau Brasil Feuilles de Route), a importância da imagem num contexto supostamente verbal, pensar as semelhanças entre o desenho e a caligrafia e explorar ilimitadamente as relações do campo verbal com o campo visual.

Conferências “Works in Progress/ Projetos em Curso anteriores:

  • Gustavo Ramos de Souza,  “Materialidades do Cinema na Literatura”, 10 de julho de 2017.
  • Nathaniel M. Wolfson, “The Question of Semantics in Brazilian Concrete Poetry (1945-64)”, 26 de outubro de 2016.

MATLIT no ELO 2017

18/07/2017

O ELO 2017, Encontro Anual da Electronic Literature Organization, decorre entre 18 e 22 de julho de 2017 na cidade do Porto. Organizado pela Universidade Fernando Pessoa, o encontro deste ano tem como tema “Affiliations, Communities, Translations”. Tal como nas edições anteriores, o encontro é uma combinação de colóquio académico e festival de artes dos média, integrando performances, exposições e exibição de filmes. O Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura é um dos parceiros do ELO 2017, designadamente na curadoria de três das quatro exposições previstas:  “Affiliations – Remix and Intervene: Computing Sound and Visual Poetry” (Palacete dos Viscondes de Balsemão; curadores: Álvaro Seiça e Daniela Côrtes Maduro); “Communities – Signs, Actions, Codes” (Mosteiro de São Bento da Vitória; curadores: Bruno Ministro e Sandra Guerreiro Dias) e “Translations – Translating, Transducing, Transcoding” (Mosteiro de São Bento da Vitória; curadores: Ana Marques da Silva e Diogo Marques).

A participação no encontro ELO 2017 representa também um significativo reconhecimento internacional do trabalho de investigação sobre literatura digital desenvolvido pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura. Doutorandos, doutorados, professores do Programa e investigadores do CLP apresentarão um total de 12 comunicações, 2 mesas-redondas, 3 exposições e 1 instalação:

  1. Diogo Marques, Nuno Miguel Neves, Ana Carolina Martins e João Santa Cruz, “PONTOS” [instalação]
  2. Ana Sabino, “I Would Prefer Not to Turn the Page: Reading and Writing in the Unlimited Digital Space”
  3. Liliana Vasques, “Remixing and Textual Appropriation in Digital Poetry”
  4. Álvaro Seiça e Daniela Côrtes Maduro, “Affiliations – Remix and Intervene: Computing Sound and Visual Poetry” [exposição]
  5. Paulo Silva Pereira, “Migrations, Political Borders and the Digital Realm. Forms of (In)visibility and Disruptive Strategies in Literary and Artistic Activism”
  6. Sandra Guerreiro Dias, “The ‘Big-Bang’ History: Performance Art and Electronic Literature – A Case Study”
  7. Bruno Ministro, “’Electricity Invading the World of Typography’: Copy Art and Electronic Literature”
  8. Élika Ortega (Northeastern U., USA), Alexandra Saum-Pascual (U. California Bekerley, USA), Dene Grigar (Washington State U. Vancouver, USA), Scott Rettberg (U. Bergen, Norway), James Brown (Rutgers U., USA), Robert Emmons (Rutgers U., USA), Daniela Côrtes Maduro (U. Bremen, Germany), Giovanna di Rosario (Catholic U. Louvain, Belgium), “Exposé!! The Global Practice of Curating Electronic Literature” [mesa-redonda]
  9. Bruno Ministro e Sandra Guerreiro Dias, “Communities: Signs, Actions, Codes” [exposição]
  10. Ana Marques da Silva, “Writing with Automated Machines: Between Translation and Sabotage”
  11. Arnaud Regnauld, Sandy Baldwin, María Mencía, Søren Bro Pold, Manuel Portela e Julie Chateuvert, “Transatlantic Take on Translating E-Lit: A Roundtable Discussion” [mesa-redonda]
  12. Nuno Miguel Neves, “Voice: Code Speaks Louder Than Words”
  13. Tiago Schwäbl, “Voice of Sound Poetry: Ample, Amplified, Samplified”
  14. Luís Lucas Pereira, Manuel Portela e Licínio Roque, “’Machines of Disquiet’: Textual Experience in the LdoD Archive”
  15. Ana Marques da Silva e Diogo Marques, “Translations – Translating, Transducing, Transcoding” [exposição]
  16. Diogo Marques, “(Im)movable Bodies or (Un)moving Texts? Transmission of Affect and Signification through ‘Inter-inactive’ and ‘Dysfunctional’ Digital Interfaces”
  17. Ana Maria Machado, Andy Campbell, Ana Aguilar, Ian Harper e António Oliveira, “’Inanimate Alice’ – The Story of the Series and its Impact in Portugal”
  18. Bruno Ministro, “Collected Works (2008-2016)”

Serão ainda apresentadas duas comunicações baseadas no projeto de pós-doutoramento em Materialidades da Literatura “Bird-Watching”:

  1. Joshua Enslen (US Military Academy West Point, USA), “’As Aves que Aqui Twittam’: New Media Variations of ‘Canção do Exílio’ and Brazil’s Twenty-First Century Socio-Cultural Landscape”
  2. Joshua Enslen (US Military Academy West Point, USA) and Alaina Enslen (USA), “‘As Aves que Aqui Twittam’: Visualizing the Influence of ‘Canção do Exílio’ in New Media”

Notícia do Público (21-07-2017): Luís Miguel Queirós, “Literatura Eletrónica: Do Barroco ao Futuro“.

Colaboração MATLIT-DEI

17/07/2017

MATLIT Summer School#5, DEI, 11-14 julho 2017.

Decorreu entre os dias 11 e 14 de julho de 2017, no Departamento de Engenharia Informática (DEI) da Universidade de Coimbra, uma oficina introdutória ao ambiente de programação Processing. Esta oficina, que constituiu a Summer School #5 em Materialidades da Literatura, foi coordenada pelo Professor Pedro Martins e lecionada por quatro doutorandos que são também docentes no DEI: Catarina Maçãs, João Miguel Cunha, Evgheni Polisciuc e Tiago Martins, membros do CDV Lab (Computer Design and Visualization Lab). Os onze participantes na oficina puderam aprender os princípios básicos da programação em Processing, incluindo noções gerais de programação como funções e variávies, estruturas de repetição e decisão, e operadores. Puderam ainda fazer exercícios de codificação com funções e procedimentos de desenho, reprodução, animação e interação; e, por fim, explorar bibliotecas de design generativo, visão,  som, rede e eletrónica, incluindo programação de Arduino. Ficaram ainda a conhecer diversos projetos desenvolvidos no âmbito do CDV Lab, como Photogrowth: Ant Painting, Mobiliário Sonoro, Hexagonal Gridded Maps and Information Layers: an Approach for the Exploration and Analysis of Retail Data, TypeAdviser: a type design aiding-tool ou Visualizing Urban Mobility.

Esta Summer School inicia um conjunto de iniciativas de colaboração do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura com o DEI, que envolverá também a colaboração futura em projetos de investigação e em projetos de mestrado e doutoramento, em particular em áreas como design multimédia, design de jogos, visualização e processamento de linguagem natural. Parte da investigação sobre os usos literários dos meios digitais e sobre a textualidade digital levada a cabo no Programa poderá assim beneficiar de um cruzamento disciplinar mais forte com diferentes áreas da computação no DEI.

PFont zigBlack;

void setup() {
size (400, 400, P3D);
fill(153);
strokeWeight(8);
zigBlack = createFont(“Ziggurat-Black”, 32);
textFont(zigBlack);
fill(0);
}

void draw() {
background (55, 85, 90);
translate(width/2, height/2, -width);
float rx = map(mouseY, 0, height, -PI, PI);
float ry = map(mouseX, 0, width, -PI, PI);
rotateX(rx);
rotateY(ry);
rect(-50, -50, 100, 100);
stroke(255);
line(0, 0, -50, 0, 0, 50);

fill(0);
textSize(64);
textAlign(LEFT);
text (“MATLIT”, 80, 160);
textAlign(RIGHT);
text (“DEI”, 240, 240);
}

Bird-Watching: Visualizações da Influência de “Canção do Exílio”

12/07/2017

© Cartaz de Tiago Santos.

No próximo dia 27 de julho de 2017, pelas 18h00, será inaugurada no Edifício Caleidoscópio do Jardim do Campo Grande, em Lisboa, a exposição «Bird-Watching: Visualizações da Influência de “Canção do Exílio”», de Alaina Enslen e Joshua Enslen. Esta exposição, que decorrerá entre 27 de julho e 15 de setembro de 2017, é uma organização da Universidade de Lisboa, apoiada pela Study in Portugal Network e pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD). Trata-se de um projeto desenvolvido no âmbito do pós-doutoramento de Joshua Enslen em Materialidades da Literatura na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, durante o ano letivo 2015-2016. A exposição foi mostrada anteriormente  no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (junho de 2016) e no âmbito do Festival FOLIO 2016 (Óbidos, setembro de 2016), tendo sido escolhida para representar o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra no concurso de prémios da Associação Portuguesa de Museologia relativos às atividades de 2016.