Skip to content

MATLIT 5.1 está em linha

31/01/2018


PT

Foi publicado o Volume 5.1 (2017) da revista MATLIT: Materialidades da Literatura. Este número, organizado por Osvaldo Manuel Silvestre e Felipe Cussen, intitula-se “Vox Media: O Som na Literatura”. Além da secção de artigos de investigação, esta edição especial inclui uma seleção de quinze obras sonoras com curadoria de Nuno Miguel Neves e Tiago Schwäbl. As obras selecionadas vão desde poemas e narrativas sonoras a paisagens sonoras e remisturas, incluindo gravações dos seguintes autores: Américo Rodrigues, Alfredo Costa Monteiro, John Bennett, Juan Angel Italiano, Luis Bravo, AG Davis, Álvaro Seiça, Ryan Wade Ruehlen e Mark Amerika, John F. Barber, Jessica Barness e Vince Giles, Sandrine Deumier e Philippe Lamy, Ryan LaLiberty, Vladimir Vladda Miloykovitch, Sara Pinheiro e David Prescott-Steed. Na secção de entrevista, os leitores encontrarão a transcrição de diálogos entre cinco autores chilenos: Martín Bakero, Pía Sommer, Felipe Cussen, Federico Eisner e Fernando Pérez.

Todos os textos se encontram disponíveis em formato html e pdf. Os ficheiros áudio estão disponíveis em streaming e para download. A MATLIT adota uma política de acesso integral livre, podendo todos os textos ser lidos em linha ou transferidos para uso pessoal. O acesso pode ser feito a partir do índice geral.


EN

Volume 5.1 (2017) of MATLIT: Materialities of Literature has been published. This issue, edited by Osvaldo Manuel Silvestre and Felipe Cussen, is titled “Vox Media: Sound in Literature”. Besides the section of research articles, this special issue includes a selection of fifteen sound pieces curated by Nuno Miguel Neves and Tiago Schwäbl. The selected works range from sound poems and sound narratives to soundscapes and remixes, including recordings by the following authors: Américo Rodrigues, Alfredo Costa Monteiro, John Bennett, Juan Angel Italiano, Luis Bravo, AG Davis, Álvaro Seiça, Ryan Wade Ruehlen and Mark Amerika, John F. Barber, Jessica Barness and Vince Giles, Sandrine Deumier and Philippe Lamy, Ryan LaLiberty, Vladimir Vladda Miloykovitch, Sara Pinheiro, and David Prescott-Steed. In the interview section, readers will find the transcription of conversations involving five Chilean authors: Martín Bakero, Pía Sommer, Felipe Cussen, Federico Eisner y Fernando Pérez.

All texts are available in html and pdf formats. Audio files are available for streaming or download. MATLIT has a policy of free full-access to all texts, which can be read online or downloaded for personal use. Access can be made from the contents page.


ES

Se publicó el Volumen 5.1 (2017) de MATLIT: Materialidades de la Literatura. Este número, editado por Osvaldo Manuel Silvestre y Felipe Cussen, se titula “Vox Media: El Sonido en la Literatura”. Además de la sección de artículos de investigación, este número especial incluye una selección de quince piezas sonoras comisariadas por Nuno Miguel Neves y Tiago Schwäbl. Las obras seleccionadas van desde poemas y narrativas sonoras hasta paisajes sonoros y remixes, incluyendo registros de los siguientes autores: Américo Rodrigues, Alfredo Costa Monteiro, Juan Bennett, Juan Angel Italiano, Luis Bravo, AG Davis, Álvaro Seiça, Ryan Wade Ruehlen y Mark Amerika, John F. Barber, Jessica Barness y Vince Giles, Sandrine Deumier y Philippe Lamy, Ryan LaLiberty, Vladimir Vladda Miloykovitch, Sara Pinheiro, y David Prescott-Steed. En la sección de entrevista, los lectores encontrarán la transcripción de diálogos entre cinco autores chilenos: Martín Bakero, Pía Sommer, Felipe Cussen, Federico Eisner y Fernando Pérez.

Todos los textos están disponibles en formato html y pdf. Los archivos de audio están disponibles en streaming o descarga. MATLIT tiene una política de libre acceso a todos los textos, que se pueden leer en línea o descargar para uso personal. El acceso se puede hacer desde la tabla de contenidos.

Anúncios

Projetos de tese 2018

10/01/2018

A sétima edição do Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura teve início no ano letivo 2016-2017. Tal como previsto pelo plano de estudos (https://matlit.wordpress.com/programa/), no final do terceiro semestre realiza-se uma prova de qualificação, que consiste na defesa pública do projeto de tese de doutoramento. As provas de qualificação da sétima edição do Programa têm lugar nos dias 18, 19 e 26 de janeiro de 2018, de acordo com o horário indicado a seguir:

18 de janeiro de 2018
Projeto: Fábio Waki (PD/BD/128081/2016), «Life as a work of art: classical reception, ethics, and aesthetics in Oscar Wilde and Michel Foucault»
Hora: 11h30, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
António Sousa Ribeiro (pres.)
Vítor Moura (arguente)
Osvaldo Manuel Silvestre (orient.)

Projeto: Joana Fonseca (PD/BD/128026/2016), «Digital Eyes: a estética da vigilância na tecnodistopia digital»
Hora: 14h30, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Osvaldo Manuel Silvestre (pres.)
Jorge Martins Rosa (arguente)
Paulo Silva Pereira (orient.)

Projeto: Cecília Magalhães, «Fragmentos em Prática: interação, colaboração e criatividade no Arquivo LdoD»
Hora: 16h00, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Paulo Silva Pereira (pres.)
António Rito Silva (arguente)
Manuel Portela (orient.)

19 de janeiro de 2018
Projeto: Mariana Ferreira, «Questões de linguagem e criatividade em sistemas de geração automática de literatura»
Hora: 10h00, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Manuel Portela (pres.)
Pablo Gervás (arguente)
Paulo Silva Pereira (orient.)
Hugo Gonçalo Oliveira (coorient.)

Projeto:  Rita Gomes, «Para animar o tempo: a ficção narrativa de Ruben A.»
Hora: 14h30, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Manuel Portela (pres.)
Paula Morão (arguente)
Ana Maria Machado (orient.)

Projeto: Rui Silva (PD/BD/128025/2016), «A Condição de Ser Livro: o livro como artefacto e a edição como prática artística»
Hora: 16h00, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Ana Maria Machado (pres.)
João Bicker (arguente)
Manuel Portela (orient.)

26 de janeiro de 2018
Projeto: Ana Albuquerque e Aguilar (PD/BD/128027/2016), «Educação Literária na Era Digital: O Contributo da Literatura Eletrónica»
Hora: 11h30, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Osvaldo Manuel Silvestre (pres.)
Rui Mateus (arguente)
Paulo Silva Pereira (orient.)

Projeto: Marie Claire De Mattia (PD/BD/128036/2016), «O Corpo Feminino Negro e a Escrita de Paulina Chiziane e Ama Ata Aidoo»
Hora: 14h30, Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC)
Júri
Ana Maria Machado (pres.)
Margarida Calafate Ribeiro (arguente)
Catarina Martins (orient.)

 

As provas relativas aos nove projetos de tese da sexta edição do Programa realizaram-se a 18, 19 e 20 de janeiro de 2017.

As provas relativas aos oito projetos de tese da quinta edição do Programa realizaram-se a 29 de janeiro e 3 de fevereiro de 2016.

As provas relativas aos cinco projetos de tese da quarta edição do Programa realizaram-se a 23 de janeiro de 2015.

As provas relativas aos cinco projetos de tese da terceira edição do Programa realizaram-se a 24 de janeiro de 2014.

As provas relativas aos três projetos de tese da segunda edição do Programa realizaram-se a 1 de fevereiro de 2013.

As provas relativas aos quatro projetos de tese da primeira edição do Programa realizaram-se a 27 de janeiro de 2012.

Materialidades da Literatura 2017-2018: bolsas de doutoramento

03/01/2018

 

DML Guia do Programa | DML Programme Handbook

Edital do concurso para Bolsas de Doutoramento (Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura – Programa de Doutoramento FCT). Prazo do concurso: 08-01-2018 a 31-01-2018. [PDF]

Announcement for PhD Scholarships (Doctoral Programme in Materialities of Literature  – FCT PhD Programme). Applications open: from 08-01-2018 to 31-01-2018. [PDF]

 

O Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (Programa de Doutoramento FCT) abre candidaturas para a edição com início em 2017-2018 (6 vagas). As candidaturas decorrem, numa única fase, de 8 a 31 de janeiro de 2018 (6 vagas). O Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (Programa de Doutoramento FCT) atribuirá 5 bolsas de doutoramento para a edição com início em 2017-2018 (2º semestre). O edital referente a este concurso pode ser consultado nas ligações acima.

Perguntas Frequentes

A) Quais os critérios de seriação na candidatura ao Programa e às Bolsas FCT do Programa?
A seriação dos candidatos ao Programa e às bolsas do Programa obedece aos seguintes critérios:

1) Classificações obtidas nos níveis de titulação com que se apresenta (30%);

2) Mérito científico do projeto preliminar do candidato (30%) – este projeto preliminar deverá enquadrar-se numa das três linhas de investigação do Programa: “Ex Machina: Inscrição e Literatura” (cf. http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/exmach); “Vox Media: O Som na Literatura” (cf. http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/voxmed); ou “ReCodex: Formas e Transformações do Livro” (cf. http://www.uc.pt/fluc/clp/inv/proj/meddig/recod);

3) Habilitações específicas relevantes para o âmbito científico do curso (10%);

4) Currículo científico (10%);

5) Currículo profissional (10%);

6) Entrevista (10%).

Nota 1: A entrevista decorrerá na primeira quinzena de fevereiro de 2018, em data a agendar. Em caso de impedimento, a entrevista poderá ser realizada por teleconferência.

Nota 2: O júri reserva o direito de não atribuir as bolsas caso a classificação global do candidato ou candidatos seriados seja inferior a 16 valores.

B) Qual a documentação a apresentar na candidatura ao Programa e às Bolsas do Programa?
A documentação necessária é definida pelo edital de candidatura ao Programa e às Bolsas do Programa referido acima.

C) Como se faz a candidatura?
As candidaturas são feitas através do sistema de informação da Universidade de Coimbra. As instruções para o processo de candidatura em linha podem ser consultadas aqui: http://www.uc.pt/candidatos/online

D) Basta a candidatura ao Programa para se ser candidato/a às Bolsas do Programa?
Sim, mas deve declarar que se candidata também às bolsas. No concurso de 2017-2018, os critérios de candidatura ao Programa e os critérios de candidatura às Bolsas do Programa são idênticos. A documentação exigida é também idêntica.

E) Qual é o valor da propina anual do Programa?
A propina anual do Programa é atualmente de 1417,00 €, a pagar em prestações.

 

Mais informações nas seguintes entradas:

1. O que é o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura?

2. Plano de Estudos do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (Cf. Despacho Nº 2666_2011, Diário da República_2ª série_Nº26_de 7 de Fevereiro de 2011, pp. 6913-6914)

3. Docentes e Professores Convidados do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (2010-2018)

4. Estudantes do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura (2010-2018)

5. Requisitos de Acesso ao Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura

6. Procedimentos de candidatura para o ano letivo 2017-2018

7. Reconhecimento do Programa para efeitos de progressão na Carreira Docente

8. Vídeos com depoimentos de atuais Doutorandos e registos de seminários de Professores Convidados (2011-2014)

9. MATLIT:  Materialidades da Literatura (Revista científica de âmbito internacional cobrindo as diversas linhas de investigação do Programa – 7 números publicados, 2013-2017)

10. Arquivo LdoD: Arquivo Digital Colaborativo do Livro do Desassossego (2012-2017): resultado principal de projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa financiado pela FCT, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

11. Ex Machina: Inscrição e Literatura (2015-2020): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

12. Vox Media: O Som na Literatura (2015-2020): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura» (Vox Media website)

13. ReCodex: Formas e Transformações do Livro (2015-2020): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

14. Inanimate Alice: Tradução de Literatura Digital em Contexto Educativo (2016-2018): projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa, desenvolvido no âmbito do Grupo de Investigação «Mediação Digital e Materialidades da Literatura»

15. Estudos Literários Digitais (14-15 de maio de 2015) | Digital Literary Studies (May 14-15, 2015): colóquio internacional organizado pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura

16. Language and the Interface (2015): exposição internacional organizada pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura

17. Variações sobre António: Um Colóquio em Torno de António Variações (7-8 dezembro 2017): colóquio organizado pelo Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura e pela Área de Estudos Artísticos da Faculdade de Letras de Coimbra

Esclarecimentos adicionais: Prof. Manuel Portela, mportela@fl.uc.pt

Materialidades da Literatura no Congresso “Invisible Republic”

20/12/2017

O Congresso Internacional «Invisible Republic: Music, Letrism, Avant-Gardes» realizou-se nos dias 25, 26 e 27 de outubro de 2017 em Lisboa. Distribuído entre o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), e organizado por Anabela Duarte (Departamento de Estudos Anglísticos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), este encontro contou com vários eventos paralelos às sessões científicas, entrecruzando-se com workshops, instalações, performances, projeções de filmes e concertos.

As sessões plenárias de «Invisible Republic» estiveram a cargo de Frédéric Acquaviva (FR), Andrew Hussey (RU), Kevin Repp (EUA), Bronac Ferran (RU) e Sylvain Montégu (FR), problematizando os principais temas do congresso, com particular incidência naqueles que gravitam à volta do Letrismo e da figura de Isidore Isou, mas também se estendendo a outras vanguardas. Tanto as sessões plenárias como as sessões paralelas dedicaram bastante atenção à música (com destaque no subtítulo do congresso), mas envolveram, também, a literatura, pintura e cinema.

No primeiro dia do congresso, Manuel Portela, diretor do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, moderou o painel “Avant-Gardes Revisited I”, no MAAT. No segundo dia do encontro, três estudantes do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura participaram no painel “Avant-Gardes Revisited II”, realizado na FLUL. Ana Marques da Silva apresentou a comunicação intitulada “Auralidade e poesia ciborgue: ler a voz e dizer a escrita”, a qual, através da discussão dos conceitos de “auratura” (John Cayley) e “poesia ciborgue” (Jhave), procurou reflectir acerca das implicações literárias do processamento automático de linguagem, e no estatuto da auralidade enquanto interface de mediação entre humanos e dispositivos computacionais. Bruno Ministro apresentou a comunicação com o título “Remix fotocopiado, sampling visual, mashup de papel: a copy art de César Figueiredo”, focando-se numa análise dos trabalhos desenvolvidos pelo artista, sobretudo as obras criadas em colaboração com uma rede internacional de autores; a investigação apresentada recorreu a um breve conjunto de obras para testar a produtividade da transposição para a copy art dos conceitos de remix, sampling e mashup. Nuno Miguel Neves apresentou a comunicação “O circuito da poesia sonora: festivais, redes e relações transatlânticas”, recuperando a história da produção e realização de diversos eventos e relações na história da Poesia Sonora, destacando o contexto da produção e desenvolvimento das diferentes expressões ligadas à prática em questão.

Grande Prémio de Tradução Literária para António Sousa Ribeiro

13/12/2017

António Sousa Ribeiro foi distinguido com o Grande Prémio de Tradução Literária pela tradução integral d’ Os Últimos Dias da Humanidade, de Karl Kraus, publicada em 2016, pela Húmus Editora. Este prémio, atribuído pela Associação Portuguesa de Tradutores e Sociedade Portuguesa de Autores, procura destacar a tradução como exercício de autoria em literatura, e dar ao tradutor “o lugar que merece no mundo da cultura nacional e internacional”. A tradução de António Sousa Ribeiro esteve na base da encenação de Nuno Carinhas e Nuno M. Cardoso, estreada pelo Teatro Nacional São João, no Porto, em 27 de outubro de 2016, e representada posteriormente, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II.

António Sousa Ribeiro é professor do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (Estudos Germanísticos) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC) e investigador do Centro de Estudos Sociais (CES). É cocoordenador dos programas de doutoramento em “Discursos: Cultura, História e Sociedade” e em “Pós-Colonialismos e Cidadania Global”, e docente do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura.

Arquivo LdoD: Arquivo Digital Colaborativo do Livro do Desassossego

10/12/2017

No próximo dia 14 de dezembro de 2017, no Anfiteatro III da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, será apresentado o Arquivo LdoD: Arquivo Digital Colaborativo do Livro do Desassossego (https://ldod.uc.pt). O Arquivo LdoD contém imagens dos documentos autógrafos, novas transcrições desses documentos e ainda transcrições de quatro edições da obra de Fernando Pessoa. Além da leitura e comparação das transcrições, o Arquivo LdoD permite que os utilizadores colaborem na criação de edições virtuais do Livro do Desassossego.

Através da integração de ferramentas computacionais num espaço simulatório, o Arquivo LdoD oferece um ambiente textual dinâmico, no qual os utilizadores podem desempenhar diferentes papéis literários. Trata-se de um recurso multiplataforma e multidispositivo (smartphone, tablet, computador portátil) em acesso aberto, cujas funcionalidades servem para múltiplas atividades, incluindo leitura de lazer, estudo, análise, investigação avançada e criação literária.

Desenvolvido entre 2012 e 2017, o Arquivo LdoD é o resultado de um projeto de investigação do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra (CLP), com a colaboração do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores em Lisboa (INESC-ID Lisboa) e da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pela União Europeia.

O Arquivo LdoD será apresentado pelos seus principais responsáveis: Manuel Portela (Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra) e António Rito Silva (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores em Lisboa).

Variações sobre António: Um Colóquio em torno de António Variações

03/12/2017

Nos próximos dias 7 e 8 de dezembro de 2017 realiza-se na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra o Colóquio “Variações sobre António: Um Colóquio em torno de António Variações”. Esta iniciativa, que integra um colóquio, um ciclo de performances e um concerto,  é uma organização do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura e da área de Estudos Artísticos da FLUC,  contando com o apoio das seguintes entidades: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Centro de Literatura Portuguesa, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20), Fundação para a Ciência e a Tecnologia, Colégio das Artes, Teatro Académico de Gil Vicente, Teatro da Cerca de São Bernardo, Casa das Artes Bissaya Barreto e Rádio Universidade de Coimbra.

A obra e a figura de António Variações serão abordadas de forma interdisciplinar, cruzando perspetivas de estudos artísticos e literários com perspetivas históricas e sociológicas. As iniciativas programadas combinam reflexão e celebração, usando as “variações” sobre António Varições como hipóteses de re-conhecimento da cultura portuguesa da década de 80. Programação: Colóquio Variações sobre António (FLUC); ciclo Variações performáticas sobre António (Casa das Caldeiras e Casa das Artes Bissaya Barreto); concerto: Sempre além: Um espetáculo em torno de António Variações (TAGV).

Sinopse

A música, as letras das canções, a imagem, os vídeo-clips, tudo isso tem contribuído para que a presença de António Variações na cultura portuguesa não se tenha desvanecido, continuando, pelo contrário, a alimentar a imaginação do público. Tão importante como tudo isso, porém, é o paradigma que Variações representa na cena portuguesa dos anos 80, bem sintetizado pela frase, que terá dito ao produtor do seu primeiro disco, para enunciar o lugar estético em que via a sua música: «Uma coisa entre Braga e Nova Iorque». A frase não sugere um ponto de equilíbrio que seria, aliás, impossível de garantir; pelo contrário, parece enunciar uma pulsão de desequilíbrio ou de fabricação, não garantida por uma estabilidade identitária prévia – seja ela a da «cultura tradicional» ou a do «cosmopolitismo» –, para qualquer projeto de criação de uma versão moderna do popular, neste caso em Portugal.

Falar de António Variações é, pois, falar sempre de muito mais do que apenas das suas canções, já que não custa ler na sua obra e na forma como performatiza a sua identidade (pessoal e coletiva) algo que nos ajuda a ler Portugal na segunda metade do século XX, da música e da poesia à cultura, à sociedade e ao estado do «corpo político».

O colóquio «Variações sobre António» propõe-se, pois, estudar quer a obra do compositor e cantor, quer aquilo que nela é sintoma de fenómenos mais vastos – um deles, e dos mais importantes, a forma como a cultura portuguesa posterior à Revolução de 1974 tenta sintonizar-se / dessintonizar-se com o mundo exterior e, em particular, com a cultura e civilização saída dos anos 60, sobretudo aquela latamente designável como pop.

Osvaldo Manuel Silvestre, Variações sobre António: um colóquio em torno de António Variações, 7-12-2017