Saltar para o conteúdo

Uma Coisa Chamada Hermenêutica

28/01/2019

© Cartaz de Rui Silva.

No próximo dia 7 de fevereiro de 2019, às 16h30, na Sala Ferreira Lima (6º piso, FLUC), será apresentado o livro Uma Coisa Chamada Hermenêutica (U.Porto Edições, 2018) de Ricardo Namora (CLP). A apresentação da obra estará a cargo de Joana Matos Frias (Faculdade de Letras da Universidade do Porto). Esta iniciativa é organizada pelo Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura, Centro de Literatura Portuguesa (CLP) e U.Porto Edições.

Ricardo Namora é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (U. Coimbra, 2001); Mestre em Teoria da Literatura (U. Lisboa, 2004); Doutor em Teoria da Literatura (U. Lisboa, 2009); Mestre em Literatura Portuguesa (U. Coimbra, 2010); Pós-Doutorado em Estética e Hermenêutica (U. Coimbra, 2014). Ensinou na Escola Superior de Educação de Coimbra e nas Universidades de Coimbra e Estocolmo (Suécia). É autor de 40 Anos de Teoria da Literatura em Portugal (2011), Teoria da Literatura e Interpretação: o Século XX em Três Argumentos (2014) e Before the Trenches: a Mapping of Problems in Literary Interpretation (2017).

Resumo da obra

À superfície, o termo hermenêutica é relativamente fácil de usar, uma vez que denota de modo transparente capacidades gerais da espécie humana como as de interpretar, explicar ou traduzir expressões de sentido. No entanto, o facto de o seu modo de funcionamento ser dúplice (ele inclui tanto operações gerais quanto exercícios singulares), arrasta essa consideração de senso comum para um terreno altamente problemático – mas, e por isso mesmo, fascinante e exigente. Este ensaio aspira, assim, a radiografar, historicamente, esse estado latente de ambivalência entre preceitos gerais e manifestações particulares, com especial atenção ao modo como a história da hermenêutica (desde Hermes a Santo Agostinho, passando pelos Românticos alemães e pelos grandes pensadores do século XIX como Chladenius, Ast, Wolf e, sobretudo, Schleiermacher) supôs uma refração do campo até se chegar ao conceito estrito de “hermenêutica literária” dos diversos formalismos do século XX.

Anúncios

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: