Saltar para o conteúdo

Doutoramento Nº 10

07/01/2020

Realizam-se no próximo dia 28 de janeiro de 2020, pelas 15h00, na Sala Grande dos Atos, as provas de doutoramento em Materialidades da Literatura de Ana Rita de Sousa Reis da Silva, candidata da quinta edição do Programa, que teve início em 2014-2015. A candidata apresenta a tese Mecânica de uma personagem: paisagem, escrita, autoria (2019), orientada por António Sousa Ribeiro (Universidade de Coimbra) e Paulo Meneses (Universidade dos Açores).

O júri, nomeado por despacho reitoral de 3 de dezembro de 2019, tem a seguinte constituição:
Presidente:
Manuel Portela (Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra)
Vogais:
Francisca Noguerol Jiménez (Professora Catedrática da Universidade de Salamanca)
Pedro Eiras (Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade do Porto)
António Sousa Ribeiro (Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra)
Osvaldo Manuel Silvestre (Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra)

Esta tese – a décima do Programa de Doutoramento FCT em Materialidades da Literatura – integra-se numa das linhas de investigação do Programa, dedicada à análise da relação entre processos de escrita e tecnologias mediais (Ex Machina: Inscrição e Literatura). Ana Rita Sousa investiga a figura autoral nas obras de Roberto Bolaño e Maria Gabriela Llansol.

Resumo [excerto]

Tomando por eixo o processo de retroacção entre a construção de uma personagem ou de uma figura autoral com o próprio processo de construção da sua função-autor, são analisadas duas propostas diferentes desta ficcionalização, assim como as alterações a que as mesmas foram sujeitas ao longo da trajectória do escritor/a em causa. O corpus de análise, a partir do qual este projecto foi pensado, é composto por Roberto Bolaño (1953-2003) e Maria Gabriela Llansol (1931-2008), que traçaram percursos estéticos consideravelmente diferentes entre si e que, de distintas maneiras, resistem à análise narrativa tradicional, reivindicando constantemente novas abordagens sobre o que entendemos por romance em geral, e por autor, em particular. Pese à distância linguística, cultural e social que os afasta, o argumento desta tese constrói-se a partir de uma preocupação que os aproxima: a sua condição de autoria.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: