Skip to content

I Colóquio Internacional de Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea

26/04/2016

Texto e fotos por Manaíra Aires Athayde

O I Colóquio Internacional de Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea ocorreu na passada semana, nos dias 18, 19 e 20 de abril, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, Brasil. Mais de cem comunicações contribuíram para que se pudesse observar um panorama alargado da Poesia Portuguesa, permitindo-nos perceber um conjunto de poetas, de críticos e as múltiplas abordagens com as quais se tem trabalhado nessas esferas de investigação. O evento possibilitou o estreitamento do diálogo entre grupos de estudos no Brasil e em Portugal e o debate reunindo vários pesquisadores de diferentes instituições e distintos projetos de pesquisa.

Colóquio UFMG 1

O Colóquio ocorreu nas dependências da Faculdade de Letras da UFMG.

Esses esforços críticos implicaram considerar “a multiplicidade de caminhos possíveis, a aproximar, relacionar, comparar, agrupar, observando rupturas e transições”, com “o intuito de refletir sobre os jogos e mundos de linguagem que constituem a Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea”, conforme se lê no texto de apresentação do Colóquio. “A partir daí, crê-se abrir um espaço sem dúvida relevante para contribuir de modo inequívoco com o debate e a reflexão literária na área de poesia”, ressalva-se ainda no mesmo texto.

O evento marca os dez anos de existência do Grupo de Estudos de Poesia Portuguesa Moderna e Contemporânea (GEPPMC), que assume a Comissão Organizadora juntamente com o Centro de Estudos Portugueses da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ambos coordenados pela professora da UFMG Silvana Pessôa. A Organização conta ainda com a colaboração do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) e do Departamento de Letras da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Colóquio UFMG 2

Conferência de abertura por Lélia Parreira Duarte, com moderação de Silvana Pessôa.

Além de sessões dedicadas à crítica e ao ensaísmo, às perspectivas experimentais e à relação da poesia com as linguagens interartes e as interfaces, os interesses perspectivados pelas comunicações inscritas permitiram organizar sessões que contemplaram uma série de poetas, das mais distintas linhas de força de convergência e de dissonância, ao longo de todo o século XX e já agora nestas duas décadas do século XXI. Foram temas dessas sessões de comunicação os autores Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Florbela Espanca, Eugênio de Andrade, Sophia de Mello Breyner Andresen, Mário Cesariny, Carlos de Oliveira, Al Berto, Luís Miguel Nava, Ruy Cinatti, Natália Correia, Grabriela Llansol, Luiza Neto Jorge, Maria Teresa Horta, Herberto Helder (que teve duas sessões dedicadas à sua obra), Ruy Belo, Manuel António Pina, Nuno Júdice, Antônio Franco Alexandre, Gonçalo M. Tavares, Ana Luísa Amaral, Ana Hatherly, Adília Lopes, Maria do Rosário Pedreira, Luís Quintais, Manuel de Freitas, Rui Pires Cabral, Matilde Campilho. Os conferencistas convidados investiram em outros nomes ainda, tais como Nuno Guimarães, Jorge de Sena e Fiama Hasse Pais Brandão.

Colóquio UFMG 3

Exibição do documentário Ruy Belo, Era Uma Vez, de Fernando Centeio e Nuno Costa Santos.

A conferência de abertura, “Orpheu, a alma nua da poesia”, ficou a cargo de Lélia Parreira Duarte, anfitriã com mais de 45 anos dedicados à investigação da literatura portuguesa, fundadora dos centros de estudos portugueses da UFMG e da PUC Minas. Ainda nesse primeiro dia, foi exibido o documentário Ruy Belo, Era Uma Vez, de Fernando Centeio e Nuno Costa Santos, seguido da palestra de Manaíra Aires Athayde, responsável pela pesquisa do filme. Rosa Maria Martelo e Joana Matos Frias, docentes da Universidade do Porto e investigadoras do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, encerraram as atividades do segundo e terceiro dias, respectivamente. “Mário Cesariny e a poética de Nicolau Cansado, um precursor às avessas” foi o tema apresentado por Rosa Maria Martelo. Joana Matos Frias concluiu o evento com a conferência “Ele viu as palavras desfocadas: os campos visuais de Nuno Guimarães”. Já as três mesas-redondas que fizeram parte da programação central contaram com a participação de Jorge Fernandes da Silveira, Luis Maffei, Sandro Ornellas, Pedro Serra, Ida Alves, Caio Gagliardi, Diana Pimentel, Jorge Valentim e Sofia de Sousa Silva.

Do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra e do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, participaram o professor Pedro Serra, com a comunicação “Engenho de Palato: a poética da subalimentação de Nuno Guimarães”, e a doutoranda Manaíra Aires Athayde, com a comunicação “‘belo belo bandeira: entre marginálias e poemas”, sobre a importância da poesia de Manuel Bandeira no discurso poético de Ruy Belo.

Colóquio UFMG 4

Mesa de encerramento com mediação de Sofia de Sousa Silva e Wagner Moreira. Joana Matos Frias apresenta a última conferência.

Esses três dias de Colóquio se tornaram importantes por evidenciar a adesão que a poesia tem tido, no âmbito dos estudos portugueses, entre os alunos de graduação e de pós-graduação no Brasil. Três dias, afinal, em que a Poesia Portuguesa se mostrou prontamente auscultada, intensamente ouvida.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: