Skip to content

Os “estranhos artifícios”: o mundo afortunado da emblemática e ficção

11/12/2013

CartazStirlingMaxwellCenter

No dia 28 de novembro, pelas 17h, decorreu no 12º andar da Glasgow University Library (Henry Heaney Room), na secção de Reservados, a apresentação da conferência “Emblematica and Fiction: Portuguese Baroque Literature” por Sara Augusto. A exposição do trabalho aconteceu na sequência do convite formulado pelo Stirling Maxwell Centre para participar nas suas Seminar Series.

Tendo em conta o trabalho desenvolvido pela investigadora no âmbito da Literatura Barroca portuguesa, pretendeu-se mostrar como a ficção narrativa pode ser apresentada e entendida como um vasto repertório de estruturas emblemáticas, estabelecendo um diálogo permanente com outras artes, nomeadamente a gravura e a pintura. Tomando como ponto de partida um acervo comum de estruturas visuais e escritas, de que o emblema é a representação mais afortunada desde o século XVI, a apresentação em Glasgow deu conta das duas premissas essenciais nesta definição normativa da ficção maneirista e barroca: a necessidade de igualmente seduzir e ensinar implicou estratégias de codificação e validação constantemente trazidas a campo. Definidos estes princípios básicos, passou-se à exposição das estruturas e dos episódios de carácter emblemático, desde as novelas pastoris até às novelas alegóricas da segunda metade do século XVIII. A novidade de alguns procedimentos apresentados provocou a curiosidade de um público bem conhecedor da matéria e extremamente interessado na possibilidade de cruzar, de forma mais intencional e profícua, a ficção narrativa e a tratadística moral com a emblemática. É um campo imenso de trabalho.

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: