Skip to content

E-Poetry Festival 2013 em Kingston, Londres

03/07/2013
E-Poetry 2013, cartaz de María Mencía.

E-Poetry 2013, cartaz de María Mencía.

Texto e foto de Daniela Côrtes Maduro.

Entre o dia 17 e o dia 20 de Junho decorreu, em Kingston (Londres), o E-Poetry Festival 2013. Na área das artes literárias digitais, este é o evento mais antigo em actividade. Desde 2001, o Electronic Poetry Center tem levado este festival a diferentes países. Este evento bienal representa uma oportunidade única para artistas divulgarem o seu trabalho e, juntamente com críticos, académicos e aficionados, criarem um espaço de discussão e intercâmbio.

Para além da divulgação de trabalhos artísticos recentes ou ainda em desenvolvimento, foram apresentadas comunicações com uma componente teórica, seguidas de um período de discussão. Entre os participantes estiveram Amaranth Borsuk (University of Washington) e Nick Monfort (MIT) que apresentaram o motor de busca (ou de rasura) The Deletionist. Serge Bouchardon (Université de Technologie de Compiègne) e Pierre Fourny surpreenderam a audiência com a/o performance/poema Separation. John Cayley (Brown University) sublinhou a natureza da actividade literária no texto Phrase Stitched Writing. Já Leonardo Flores (Universidad de Puerto Rico) referiu-se à sua relação com a E-Poetry em “I Love E-Poetry: 500 Posts Later”. Loss Pequeño Glazier (University at Buffalo) dedicou a obra Etymon à impossibilidade de alcançar a origem da linguagem. Talan Memmot e Eric Snodgrass, ambos radicados na Blekinge Teknisa Högskola, partilharam com a audiência a colagem Huckleberry Finnegans Wake. María Mencía (organizadora local do festival) retratou o leitor em pleno processo de leitura em Transient Self-Portrait. Manuel Portela (Universidade de Coimbra) referiu-se à mutação do significado em obras digitais com a comunicação “Consumed by Language: Deprogramming Meaning through Permutations” e, no último serão do festival, implicou as letras do alfabeto (e a audiência) num jogo poético intitulado ABC Games.

Exposição de John Cayley e Penny Florence, "Turner and digital writing: performance, installation, discussion", Tate Britain, Clore Gallery. Foto de Daniela Côrtes Maduro.

John Cayley e Penny Florence, “Turner and digital writing: performance, installation, discussion”,
Tate Britain, Clore Gallery. Foto de Daniela Côrtes Maduro.

As actividades decorreram na Kingston University London, na Tate Britain, na Poetry Library e no Watermans Art Centre, onde permaneceu, até ao dia 26 de Junho, a exposição Words Unstable on the Table. Nesta exposição foi possível interagir com algumas das obras apresentadas durante o festival. As diferentes residências deste festival (uma sala de universidade; uma sala de teatro e cinema; uma biblioteca e uma galeria) e a variedade de recursos utilizados na produção e apresentação das diferentes obras, sublinharam a hibridez desta prática literária e indicaram o caminho para novas possibilidades de criação artística. As inúmeras questões  suscitadas durante as sessões teóricas deixaram transparecer a condição emergente da poesia electrónica e apontaram para a necessidade de existir um diálogo permanente entre a comunidade académica e artistas. Loss Pequeño Glazier, director do E-Poetry, encerrou o festival com um anúncio: a próxima edição será recebida pela cidade de Buenos Aires em 2015.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: